Fios de Nylon

Estilos literários

O intuito desta seção é compilar os múltiplos estilos e gêneros literários que existem tanto na literatura brasileira como na mundial. Lembrando que a lista abaixo é um desmembramento global de três categorias dos estilos literários mais comuns que são: narrativo, dramático e lírico. Um pequeno guia que ajudará na sua leitura, pesquisa e busca por novos estilos de leituras, mostrando também que existem inúmeras possibilidades além de um simples romance, se é que pode-se chama-lo de simples, e incentivar o leitor a buscar novas formas de narrativas para o seu conhecimento. Lembrando que esta listagem é fruto de muitas pesquisas e inclusive surgiu da necessidade em complementar o legado de meu TCC, concluído no ano de 2013. Outro ponto que merece ser frisado aqui é que estes são alguns dos gêneros que já li e pesquisei, pois assim como na história e ciência, a literatura está em constante mudança e com isso surgem a cada dia novos gêneros para complementarem nosso conhecimento sobre esta arte.

Acadêmico: é um estilo bastante utilizado em dissertações de graduação, pós, doutorado, mestrado ou MBA. Normalmente são teses dissertativas que acompanham da linguagem da norma culta com observações do escritor, seguido de suporte de defesa da tese com o emprego de citações, que por sua vez são obras de outros autores que são utilizadas para atestar o que se defende em uma monografia, por exemplo.

Biográfico: é uma narrativa que se descreve a partir de fatos reais. Uma biografia não necessariamente é descrita pelo próprio autor da obra, mas também surge como resultado de pesquisas, entrevistas, investigações ou fatos históricos. As biografias podem ser apresentadas ao público em geral de forma autorizada, aquela em que o objeto biografado concorda em ceder as informações para a história ser narrada, ou não autorizada, quando as informações são coletadas através de pessoas próximas ao biografado, reportagens jornalísticas e entrevistas com conhecidos ou estudiosos do caso. No entanto, ambas as versões devem obedecer a regra do registro verosímil dos acontecimentos.

Conto: é uma narrativa ficcional que possui bastante consistência, porém em questão de aprofundamento e mesmo de conteúdo apresenta-se mais breve do que um romance, epopeia ou novela.

Cordel:

Crônicas: são textos que podem ou não ter uma historia verosímil, pode dispensar a presença de personagens e de uma análise profunda do tema tratado. É um estilo textual mais informa muito utilizado por escritores em jornais, revistas, blogs e até mesmo em mídias como rádios e tvs. Ela também não precisa necessariamente obedecer a norma do padrão culto da língua portuguesa, o que a permite revelar autores e obras totalmente coloquiais.

Chic-lit: estilo literário que enaltece contos dos quais os personagens principais consistem em figuras femininas ou temáticas do universo feminino. Apesar de algumas destas obras serem consideradas comédias românticas, o termo mais adequado que encontrei para designar este tipo de publicação ainda é o conhecido por leitores estrangeiros como chic-lit (literatura chique em tradução livre).

Distopia:este gênero trabalha uma narrativa voltada para ficção e fantasia. Histórias construídas com esta temática os autores contam com uma construção narrativa de uma sociedade oposta a de uma utópica, cujos os elementos deste tipo de história conversa com o real, ficcional e mitológico.

Ensaio: é um gênero literário que utiliza da poética da crítica e da didática para expressar pontos de vista do autor sobre determinados assuntos. Os ensaios são na maioria das vezes confundidos com as crônicas, mas este em particular possui uma característica mais literal que transforma seu tema em um texto mais subjetivo.

Fábula: são contos de estilos fantásticos que tem em seu epílogo uma narrativa moralizante. Este é um gênero mais presente na literatura infantil, da qual autores utilizam de metáforas ou mesmo de contos, lendas e acontecimentos reais para explicarem temáticas complexas de uma forma lúdica para as crianças.

Ficção: nesta narrativa literária o tema é desenvolvido de forma imaginária, podendo utilizar de elementos factíveis para dar embasamento a teorias conspiratórias, mitológicas, lendárias ou mesmo de distopias.

Folhetim: são histórias publicadas em periódicos como revistas e jornais de forma sequenciada. O autor nacional Joaquim Manuel de Macedo é tido como destaque nesta forma de narrativa. Seu romance A Moreninha foi o folhetim mais popular de sua época, tanto que ele apenas se tornou um livro publicado no ano de 1844.

Epopeia:

Hino: é uma composição do gênero literário com a finalidade de louvar, reverenciar ou enaltecer algo. Seja ele religioso, político ou cultural.

Jornalístico: apesar de alguns autores divergirem neste ponto, durante minha pesquisa de monografia pude constatar que sim, o gênero jornalístico não apenas faz parte da literatura em si como em muitos momentos de sua existência utilizou das narrativas literárias para construir textos informativos com mais profundidade. O exemplo mais próximo de nosso entendimento está o Novo Jornalismo (New Journalism), encabeçado pelos grandes escritores Gay Talese, Tom Wolfe e Jimmy Breslin.

Parnasianismo:

Paródia: este gênero é uma apropriação de uma obra já existente. A paródia consiste na releitura em forma de sátira da obra original.

Poesia: é um estilo de texto lírico que tem como sua principal característica a harmonização das palavras (rima) entre versos.

Poema:

Quadrinhos: utiliza de linguagem escrita e visual para transmitir uma mensagem. A história narrada em quadrinhos possui uma estrutura particular, pois utiliza também de onomatopeias, na maioria das vezes, oriunda de idiomas estrangeiros como da língua inglesa para descrever situações ou indicar ações.

Prosa: uma das principais características que difere a prosa do poema e da poesia são as marcações entre seus parágrafos. Com uma narrativa que ocorre normalmente em tempos passados, a prosa possui em sua composição um texto bastante objetivo, mas que mescla-se facilmente entre uma estrofe a outra com a subjetividade.

Romance: a narrativa mais conhecida no meio da literatura. Neste estilo temos uma composição textual mais complexa e estruturada que as descritas aqui, pois o romance não possui apenas um núcleo onde se passa a história. Neste o aprofundamento da personalidade dos personagens, a descrição fiel do ambiente e do tempo onde se passa a história se tornam indispensáveis para situar o leitor na narrativa.

Saga/Série: são histórias que se dividem em sequências que ultrapassam três publicações, pois isto significaria que ela seria uma trilogia. Normalmente as séries contam com um número de cinco obras no mínimo, podendo chegar a dez ou mais.

Sátira:

Simbolismo:

Soneto: é um poema que se estabelece com a estrutura de quatro estrofes (parágrafos) dos quais dois são compostos de quartetos (quatro versos) e dois tercetos (três versos).

Trilogia: ao contrário das sagas/séries, como o próprio nome sugere são histórias distribuídas em três volumes.

Vanguarda:

Deixe uma resposta