Como a leitura mudou minha vida

cupcakes4

Sabe quando somos crianças e nossos pais/tios/avós nos dizem que a leitura ajuda a definir quem somos e nos ajuda na formação de nossas opiniões? Pois isso é muito verdade. Fico lembrando do meu comportamento antes com agora e fico impressionada em ver como mudei e pra melhor. Nem sempre tive este hábito pela leitura, preferia assistir ao filme do que ler a obra, no entanto, depois que formei na faculdade de comunicação social (jornalismo) é que este hábito se tornou muito mais intenso em minha vida.

Não que eu não gostasse de ler durante a faculdade, mas eu sempre tive um problema em ter a obrigação as metas de leitura que as disciplinas exigiam. Ao meu ver a leitura deve nos proporcionar prazer e vontade de ir ao encontro dela, o que não acontecia com as publicações da época de estudos. Sempre tinha muita coisa pra ler, na maioria das vezes textos complexos, gigantes e muito cansativos. Tanto que eu só fui me interessar por literatura clássica depois de formada, justamente por não ter essa pressão e obrigação de ter que ler num prazo. Eu lia no meu tempo, onde e como eu quisesse.

livros1

Atualmente não sei listar ao certo quantas publicações já li, pois foram muitas e eu andei me desapegando de algumas edições por falta de espaço e necessidade de poder comprar outras. No entanto, me lembro perfeitamente como foi esta transição que sofri entre a preguiça de ler um livro inteiro para o hábito de devorar histórias das mais diversas narrativas. O meu TCC (trabalho de conclusão de curso) na faculdade foi o grande responsável por esta transição. Isso porque eu tinha uma enorme dificuldade em ler histórias contínuas, ou seja, uma obra inteira. Começava a ler e mesmo gostando do assunto eu largava pelo meio do caminho o livro simplesmente porque ficava cansada. Isso aconteceu com várias obras, começava, ia até a metade e depois largava pra lá.

Só que, ao reler um livro de crônicas que havia sido cobrado na prova do vestibular (A Morte de DJ em Paris) o meu gosto por leitura reacendeu e eu me apaixonei novamente pelo primeiro livro de crônicas e escritor que eu admiro até hoje que é Luis Fernando Veríssimo em A Comédia da Vida Privada. Depois disso comecei a viciar em livros de crônicas e contos, que possuem uma narrativa mais direta e histórias com enredos mais despojados e às vezes moralizantes (entenda-se irônicos). Com a produção do meu TCC foi a época que ocorreu esta transição que mencionei, pois tive de ler obras do início ao fim de jornalistas que falavam sobre a temática do trabalho e eu tomei gosto por aquelas histórias, bem estruturadas e os detalhamentos. Dali em diante comecei a desenvolver um gosto voraz por literatura. Isto fez com que aquela velha preguiça de ler obras de apenas uma temática ficasse no passado.

Se eu puder dar uma dica para quem deseja cultivar o hábito pela leitura, mas tem aquela preguiça mental de pegar um livro e começar uma história eu darei: comece lendo histórias leves, poesias, poemas, sonetos, contos e crônicas. Os livros de crônicas são ótimos pois possuem histórias mais resumidas, diretas e factuais. Com o tempo você sentirá necessidade de mais aprofundamento e detalhamento da história, vai querer conhecer mais sobre a personalidade dos personagens e vai preferir o livro que ao filme. Sério, quando a gente chega no nível de detestar a obra fílmica por “trair” a proposta do livro é porque você se tornou um verdadeiro leitor compulsivo de títulos literários.

livros2

Outra dica muito boa, porém óbvia é você ler o que te agrada. Não se apegue ou importe com a opinião alheia sobre determinado autor, editora ou estilo literário. Comecei a ler meus primeiros livros do autor Paulo Coelho, cujo autor a maioria das pessoas ao meu redor detesta, porém eu li e consegui refletir muito com as histórias retratadas. Com o tempo você mudará, seu gosto por leitura também e assim novos títulos e histórias ganharam sua estante. Jamais tenha vergonha de ler qualquer tipo de obra, que seja auto ajuda ou romances água com açúcar.

Se eu pudesse também dar uma dica para as mamães aqui no blog que desejam que seus filhos sejam ávidos leitores é que incentivem desde cedo a leitura para eles. Comecem a ler para eles, deem livros de presente, depois vá apresentando literaturas infantojuvenil como quadrinhos, mangás e tirinhas. Aos poucos conseguiremos ensinar um dos melhores e mais construtivos hábitos de nossa cultura que é a leitura, já que ela é importante não apenas para melhorar nossa escrita, mas também para ajudar a aumentar nossa bagagem cultural e treinar nosso senso crítico!

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.

Deixe uma resposta