Comportamento

Meu guia pessoal de escrita 1

Ao longo do meu aprendizado sobre escrita consegui desenvolver uma forma que me ajudou muito neste processo. Experiência é muito valorizada e a gente só adquire fazendo, não tem outro jeito e com a escrita não poderia ser diferente. Estou conseguindo aperfeiçoar minha narrativa devido à persistência na prática que tenho, não achem que só ficar decorando regras gramaticais ou apenas ler te tornará um bom escritor. Para fazer isso bem é preciso executar um grupo de atividades permanentemente durante a prática.

As duas primeiras regras deste desafio consistem na confiança e domínio do assunto. Conhecer o tema do qual irá discorrer e ter a certeza de que você mais do que ninguém tem propriedade para falar daquilo é o primeiro passo para o caminho do sucesso no mundo da escriba. Outro ponto importante neste processo é investir em pesquisas intensivas sobre os temas que deseja abordar. Porque para se ter confiança no que vai escrever é preciso uma boa base de conhecimentos específicos para que você possa desenvolver com credibilidade ao assunto e conteúdo para que você possa argumentar com exatidão.

Outros quesitos importantes na hora de escrever um ótimo texto é você buscar referencias variadas e em veículos de credibilidade, pois não tem nada pior do que dar uma informação incorreta ou inexistente em um texto, isto acabará com sua reputação por sinal. Que tipo de escritor não verifica suas fontes antes de publicar algo? Ler jornais, revistas, tirinhas, panfletos de supermercados ou mesmo a seção de horóscopo do jornal também conta. Isso ajuda muito a expandir nosso olhar e conhecimento sobre qualquer assunto, por mais árido e difícil que ele seja. Nada como uma boa leitura para relaxar a mente e ao mesmo tempo enfervencer de novas ideias.

O bom redator sabe que não pode parar no tempo, portanto, estar em dia com a gramática é essencial. Estudar português não é uma opção, mas uma obrigação. Nossa língua é muito rica e complexa, possui inúmeras conjugações, tempos verbais e regras específicas com pontuação e acentuação que devemos seguir à risca. Mas o mais importante que ainda não citei neste artigo é que reler o que escrevemos é imprescindível. Este é o primeiro passo antes de enviar nosso texto à revisão, que é o ultimo passo deste processo antes de o publicarmos. A revisão é responsável por darmos uma “ajeitada” no conteúdo, verificar possíveis erros gramaticais, de concordância, coerência e coesão. No entanto o fundamental em todo o processo que deixei para falar agora é a importância de sabermos aceitar críticas. Quando damos nosso trabalho para um terceiro revisar, estamos abrindo espaço para críticas construtivas. Quando iniciei meu primeiro estágio como jornalista em 2011, os meus textos eram péssimos, a escrita era difícil e a leitura e compreensão do mesmo era impossível. Cansei de refazer textos que eu julgava estarem perfeitos e em seguida receber uma critica de colegas apontando os erros e defeitos. Só assim consegui visualizar minha dificuldade na construção de uma narrativa e aprendi que devemos buscar melhorar o que está bom sempre!

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.

You Might Also Like

Deixe uma resposta