Fios de Nylon

Vamos encerrar as discussões

Está cada vez mais difícil mantermos uma conversação amigável nas redes sociais. Isso porque cada um quer impor o seu ponto de vista que julga ser o correto, quer ter sempre a razão e a última palavra na discussão. Outro fenômeno muito estranho e chato que ocorre no ambiente virtual é que as pessoas agora se cercam apenas de opiniões favoráveis, ou seja: se você pensa e fala diferente de minha pessoa, isto o banirá automaticamente do meu circulo de amizades.

Como se não bastasse este fenômeno irritante, as pessoas agora apostam em outra modalidade ainda mais insuportável que a anterior: o rompimento de amizades de longas datas ou absurdamente com familiares próximos por conta da divergência de opiniões. A temática política lidera este ranking medonho em minhas pesquisas. Não sou o tipo de pessoa que possui milhares de amizades no facebook, mas a minha amostragem de 400 seguidores me permitiu chegar à uma triste conclusão: as pessoas estão cada vez mais intolerantes e sem limites. Com base nesta pesquisa de campo, pude constatar que em muitos casos a internet vem influenciando de modo contrário o comportamento humano, que a principio era de socializar e diminuir as distâncias.

Na internet, assim como na vida, tudo é uma questão de causa e efeito. Se você decide se cercar apenas de pessoas favoráveis ao seu ponto de vista, você tenderá a ficar socialmente atrofiado e consequentemente ignorante. Além de não conseguir exercitar seu senso crítico, você acaba se tornando uma pessoa limitada, com assuntos limitados, conhecimento limitado, argumentos limitados e pensamento limitado. Pessoas cultas e inteligentes sabem que precisam ouvir de um tudo um pouco, assim conseguem ter uma visão mais abrangente dos assuntos em pauta, conseguem argumentar com mais sensatez e conseguem admitir com mais facilidade que mudar de opinião é algo tão benéfico na evolução humana que merece ser exercitada sempre. Ao contrário dos bitolados de plantão, do qual vivem em seus mundinhos autistas (sem querer ofender as pessoas portadoras da deficiência ok?) que só prestam atenção em seus umbigos, estes acabam virando aquilo que conhecemos muito bem por anti sociais.

Deixe uma resposta