Fios de Nylon |

Se for para ser assim, que seja!

Se tem uma coisa importante que devemos fazer com convicção é mostrarmos para o que viemos. De nada adianta ficarmos sentados em nossa zona de conforto, nos achando melhores que os demais porque sabemos ou fazemos coisas. Criticar o outro é fácil demais, qualquer um pode fazer isso, mas fazer diferente de quem é criticado que é o desafio. Se tem um erro bastante comum que vejo as pessoas cometendo é o fato delas reclamarem da falta de iniciativa/proatividade do outro para determinadas situações do cotidiano. Mas estas que reclamam são incapazes de fazer diferente. Ficam inertes em suas bolhas criticando, o que acaba levando-a a ser como as que elas estão apontando o dedo.

Tem uma frase perfeita em Peanuts que define bem este tipo de comportamento: “se quer algo bem feito, faça você mesmo”. Se existe algo que lhe incomoda bastante, como o fato de ter louça suja em sua pia, da qual você não sujou, vá lá e lave-a. Ficar parado e analisando o comportamento indiferente das pessoas te torna tão mesquinha quanto elas, na verdade pior, pois você tem consciência do erro do qual elas estão cometendo e você o faz da mesma forma.

Não achar que aquilo é com você, não é da sua conta ou que você não deve se meter é o maior erro que pode cometer consigo, pois o incomodo continuará ali bem na sua frente, você se irritará e perderá a capacidade de raciocinar e tomando atitudes impensadas. Enquanto a outra pessoa, sem saber de sua opinião (não que ela ligue para ela) continuará vivendo sua vidinha medíocre, porém feliz, enquanto você se amargura.

Então, não espere que as pessoas façam as tarefas como você faria. Se algo o incomoda, vá lá e faça. Você verá como é libertador não ter o que lhe incomode e ao mesmo tempo a satisfação de ter feito algo de bom, não pela pessoa, mas por você. Isso é gratificante.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: