Fios de Nylon |

Resultado da Maratona Literária de Abril

Não foi surpresa alguma que, já vou falar logo de inicio e sem rodeios que, minha tentativa de fazer uma maratona literária foi quase um completo fracasso. Quase porque uma única meta se salvou dentre as pretendidas nesta maratona de feriado. No último fim de semana de Abril, na sexta-feira 28/04 que antecedeu o feriado do Dia do Trabalhador em 01/05, eu havia me propramado para ler mais dois livros que eu não havia terminado, além do Man Repeller que faltava um pouco mais de 100 páginas para terminar.

No fim das contas a maratona não foi um total fracasso porque este foi o livro que ocnsegui terminar, fotografar e resenhar aqui no blog. Os outros eleitos para que eu intercalasse durante estes quatro dias de feriado foram: Felicidade Clandestina da Clarice Lispector e A Vida como ela é do Nelson Rodrigues. Ambos eu já havia lido alguns contos, porém queria ler mais deles. Só que, como eu havia previsto, nem toquei nestes livros até o exato momento que escrevo este texto.

Mas não estou nenhum pouco preocupada e nem frustrada por não conseuir levar a diante uma maratona literária. Já fiz alguns posts aqui no blog falando que não sou fã e nem adepta da prática, justamente porque eu tenho um ritmo de leitura mais lento e que valorizo mais a reflexão da leitura do que ler só para acumular livros lidos no final do mês. Só me propuz a faze-la porque eu queria experimentar a sensação de participar de uma maratona assim, mas sinceramente? Não mudou em nada o modo como lido com a leitura no meu dia-a-dia.

Eu tenho um sistema muito bom de leitura que funciona super, de ler um livro apenas por mês, para que assim eu possa aprofundar o quanto for possível. Faço anotações de passagens que possam servir de inspiração de posts aqui no blog, pesquiso sobre referências e o mais importante para mim que é: eu saboreio cada instante que estou naquela leitura, sem pressa ou cobranças. Sendo assim, esta maratona só reforçou meu laço particular com a leitura, me mostrou que o meu tempo de leitura não rpecisa ser igual aos dos booktubers e nem das outras pessoas. E eu estou feliz assim. Valeu as guloseimas que comi, as horas que passei dormindo e consumindo conteúdo de literatura no YouTube, valeu demais. Só sei que maratonas literáris não são para mim!

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 31 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: