Cinema, Cultura

Sete dias com Marilyn Monroe e o papel de uma personagem

Muita gente acredita que as adaptações cinematográficas jamais serão como as obras impressas que as deram origem. Concordo, mas em parte. Eu também acreditava nisso até assistir à adaptação do best seller de Colin Clark contando justamente o que aconteceu neste breve momento de sua vida, quando teve a oportunidade de viver e conviver com a maior celebridade do cinema de sua geração: Marilyn Monroe. Em Sete dias com Marilyn é um apanhado de fatos e memórias registradas pelo próprio Colin quando ainda era um jovem aspirante a diretor de cinema na função de auxiliar de filmagens do longa “O Príncipe Encantado” quando teve seu primeiro contato com Marilyn, que nesta obra foi interpretada por ninguém menos que Michelle Williams.

Marilyn Monroe em outra perspectiva da narrativa

A atuação de Michelle é tão impressionante que merece uma menção à parte neste texto. Já vi muitos filmes retratando a vida de famosos como Lady Di, Rainha Elizabeth II, Maysa e muitos outros. Já que a maioria de outras poduções biográficas, as obras contaram com os personagens reais. No entanto nunca vi uma atriz encarnar o personagem tão bem como Michelle Williams com Marilyn. A caracterização física é tão assustadora que em certos momentos cheguei a duvidar de que era uma atriz interpretando Marilyn. Juro que eu realmente acreditei que era a própria ali diante da tela.

A temática do filme possui uma delicadeza incrível ao narrar fatos íntimos da atriz. Esta é uma obra totalmente construída a partir do ponto de vista do narrador. O filme conseguiu traduzir de um modo muito coerente a obra original que é em livro. Deixando-me apenas uma queixa com relação ao roteiro: achei muito vazia a construção do papel da personagem. Por exemplo, em momentos que se destacavam suas fragilidades de Marilyn. Acredito que faltou um pouco explorar o lado mais genial e fulgaz da atriz do que simplesmente coloca-la em situações de vulnerabilidade, pois se tem uma coisa que a verdadeira Marilyn fazia questão era de deixar suas fraquezas longe dos olhos de curiosos e do grande público. E o fazia muito bem.

Marilyn Monroe filme

O filme de Marilyn Monroe  e seus aspectos negativos

No entanto, eu como sempre, tenho que destacar sempre a parte visual da coisa. Pois é disto que o cinema também trata não? O figurino estava impecavelmente tão perfeito quanto a escolha dos atores para seus respectivos papeis. Devo pedir uma salva de palmas em especial também aos diretores Simon Curtis e Ben Smithard por suas proficiência.

Sete dias com Marilyn é aquele tipo de filme que eu assisto sem grandes expectativas. Mas que em um aspecto ou outro acabam me surpreendendo bastante de forma positiva. Recomendo o filme para todos que, assim como eu, são fãs incondicionais de Marilyn, gostam de uma história sem muitos suspenses ou grandes tramas ou querem um filme apenas para descontrair. Garanto que, mesmo você que não é um fã de Marilyn Monroe, você acabará com uma imensa vontade de assistir tudo o que ela já produziu em vida, seja em filmes, fotografias ou mesmo suas poesias!

Marilyn Monroe Pôster

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.

You Might Also Like

Deixe uma resposta