Fotografando num domingo no parque

Fotografando num domingo no parque

Fotografando em pleno domando é algo não muito habitual para mim. Apenas porque aos domingos costumo ficar totalmente quieta em casa. Além de ser um dia em que os parques geralmente estão lotados demais. Mas para variar em minha rotina, decidi que este seria o dia para testar a minha 24-105mm. Apenas ela e nada mais. E não é que o resultado foi maravilhoso? Superou totalmente minhas expectativas ao ver os resultados das fotos feitas com ela. Já mencionei neste post o motivo pelo qual optei em comprar esta lente prime da Canon. E pelo visto, foi a melhor aquisição do ano na minha opinião.

A experiência foi incrível. Apesar de não estar tão inspirada assim para fotografar, fiz algumas fotos que me deixaram orgulhosa. Só fui perceber isto quando cheguei em casa e editei as fotos. Que aliás, não editei tanto assim as fotos. Diga-se de passagem. Se antes eu fotografava apenas em RAW, neste dia voltei a fazer só em JPG e fui muito feliz. Com lente e câmeras novas e um ambiente não controlado, saiu tudo além do esperado. O dia estava com sol, mas muitas vezes fui traída pela luz. Foi assim que pude colocar em prática técnicas que eu havia estudado. Uma pena eu só ter me esquecido de anotar os nomes dos donos dos cachorros que pousaram pra mim.

Fotografando catioros super fotogênicos

Quando estava fotografando essas lindezas pude perceber que independente de raças, todos os cães são lindos. Vira-latas ou com pedigrees, não importa, todos têm sua beleza estampada nos focinhos repletos de felicidade. Basta conferir as fotos acima. Como eu disse anteriormente, só lamento não ter o contato dos donos. Eles amariam ver essas preciosidades de seus filhotes lindos. E quem não gostaria, não é mesmo?

Fotografando em cenários comuns

Ao dizer “cenários comuns”eu me refiro a uma foto muito comum mesmo. Do tipo que você está cansada de ver pessoas e turistas fazendo. Vide a imagem das pessoas segurando com as costas e mãos a torre de Pisa. Todo mundo já fez essa foto ao visitar o local. Mas quando damos um contorno diferente às luzes no local, aquela foto comum passa a se diferenciar. Com isso temos um novo olhar para aquilo que é tão comum. Certo?

Fotografando num domingo no parque

Por último: surra de Ipês

Como vocês podem ver, o dia teve uma variação absurda de luz. Nublava, ficava escuro e depois voltava a ficar assim, claro. Mas como eu disse, fotografar em ambientes não controlados é o melhor desafio que já enfrentei. Por fim, quando eu pensava que não tinha mais o que fazer, paw! Me deparei com uma praça rodeada de Ipês com buquês lindos. O inverno no Brasil proporciona esta beleza única. Assim como os orientais possuem suas cerejeiras, aqui o rosa dominou as fotos.

Não havia me dado conta da beleza que eram estas flores até ampliar as imagens no computador. Passei boa parte admirando, já que pouco editei. Mas quem precisa de edição não é mesmo? Se mexi na situação, luz ou contraste foi muito pouco viu. Estou embasbacada até agora com o resultado que obtive com meus equipamentos novos. Neste dia lembro que dispensei completamente minha 50mm. Isto porque queria mesmo exigir ao máximo do meu conhecimento e de tudo que aprendi lendo na prática. E deu certo. Quando me vi na situação de que tinha apenas aquela lente, eu me virei como pude.

E assim foi um não típico domingo de lazer aqui em BH. Todas as fotos acima foram produzidas por mim utilizando uma Canon Rebel T6i com uma lente L USM 24-105mm. Caso tenha gostado de alguma imagem e queira compartilhar em suas redes sociais ou com amigos, por favor, credite a foto por gentileza!

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.

One thought on “Fotografando num domingo no parque

Deixe uma resposta