Fios de Nylon |

Moda

Um brinde a Betty Halbreich

Quando iniciei a leitura deste livro, não fazia a menor ideia de quem era Betty Halbreich e o que fazia. Muito menos a sua importância para o universo da moda. Ela não é o tipo de pessoa que aparece o tempo todo em revistas especializadas em alta costura. Muito menos sendo entrevistada para falar disso. Apesar da não exposição, esta mulher cumpre um papel muito importante na indústria da moda. Sendo ela a responsável por auxiliar suas clientes a comprarem roupas que realmente façam sentido para elas, suas vidas e guarda roupas. “Um brinde a isso” é muito mais do que uma autobiografia de quem já viu e viveu de tudo. É simplesmente uma dessas histórias que nos inspiram e empolgam do início ao fim.

(Tenho uma cliente que experimenta tudo de costas para o espelho, olhando olhando para mim. Ela confia na minha opinião e a prefere ao próprio reflexo.) – p. 219

Depois que você começa a ler sobre a vida de Betty, não consegue mais parar, já que tudo é colocado de um jeito tão natural e leve. Mesmo que em certos momentos dramáticos de sua vida nos encham os olhos de lágrimas. Ela conta com muitos detalhes de como surgiu sua paixão por moda e vestuário. Na infância, onde sua referência nada mais era que sua mãe e avó materna, percebe-se lampejos de sua aptidão natural para seu oficio. O que se acentuou durante seu complicado e solitário casamento com Sonny Halbreich.

A cobiça por roupas é um mecanismo defesa brilhante (sobretudo se você for uma pessoa de posses). – p. 223

A moda como um estilo de vida

Nos tempos de nossas avós, assim como de Betty, as mulheres eram as únicas responsáveis por cuidarem das casas, dos filhos e delas mesmas. Assim, passando mais tempo com suas mães, era possível aprender de tudo um pouco. Desde noções básicas de maquiagens a roupas essenciais que você deve ter num guarda roupa.

É difícil apontar uma única fonte responsável pela aptidão de Betty Halbreich para moda e personal style. Ao longo da leitura fui percebendo uma influência aqui e ali. Que se juntarmos todas, talvez consiga enxergar o que Betty é hoje para a Bergdorf Goodman. Mas como toda autobiografia que já li, por trás de uma grande mulher há sempre uma história interessante. Durante a leitura deste livro ficou evidente isso para mim. “Um brinde a isso” sequer cita conceitos, é tudo  tão auto explicativo que entendemos como tudo funciona naturalmente.

É interessante acompanhar com atenção cada detalhe desta narrativa. Pois vemos como se deu a acensão da indústria da moda como a conhecemos. No pós guerra, o milagre econômico americano e o fenômeno do Baby Boom na década de 50, ajudaram a alimentar esta cadeia de consumo. Vejo em Betty um ser humano com talento para ajudar as pessoas a criarem sua identidade de estilo e não uma simples vendedora interessada em vender.

Este não é um livro sobre moda

Sempre me pergunto qual o sentido da moda no estilo em nossas vidas. Porém, nem sempre é tão simples chegarmos a uma definição coerente para todas as pessoas. Cada um interpreta e cria suas definições de acordo com suas crenças. Já eu penso que moda e estilo são uma coisa só, mas que eventualmente se distinguem uma da outra.

O que mais me entusiasmou nesta leitura é poder saber que Betty Halbreich não via sua cartela de clientes apenas como máquinas de consumo. Ela enxergava, entendia e conhecia as dores, defeitos e qualidades de cada mulher. Sabia dos gostos pessoais, problemas e afinidades. Isto lhe possibilitou ter uma liberdade tão grande em poder dizer que comprar e o que evitar durante as compras. Ou seja, muitas vezes seu trabalho consistia em convencer suas clientes a não comprarem. Não consigo imaginar hoje alguém com tal poder de influência assim, muito menos alguma loja que admita isso.

Simplesmente fascinante…

Quando gosto do trabalho de alguém que admiro muito, ler sua biografia chega a ser inspirador. No caso de Betty Halbreich foi o contrário, a conheci por conta deste livro. Após a conclusão desta leitura tenho certeza que quero acompanhar mais de perto seu trabalho. São mulheres como ela que possuem sobre mim mais autoridade de influência no estilo. Muito mais do que muitas editoras de revistas de moda sequer conseguem fazer nos dias de hoje, mesmo com tanta informação.

Pois Betty entende tudo sobre o universo feminino, o que funciona ou o que é apenas alegoria da indústria da moda.Todo seu conhecimento foi adquirido através de observação. Ela pensa e entende por suas cliente,  transformando o momento de compra em um evento prazeiroso e único. Posso facilmente recomendar este livro pra todo estudante de marketing. Porque aqui ela ensina justamente isso, reconhecer seu público para não empurrar mercadorias inadequadas apenas para atingir metas.Sendo assim, espero que esta resenha encoraje você a ler este livro, porque sinceramente ele é fascinante!

A vida tem que ser feita de mais coisas do que apenas vir trabalhar e bater metas. Aliás, nunca sei se bati as minhas metas ou não.” – Betty Halbriech

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 31 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.

2 Comments

  1. Cláudia

    novembro 21, 2018 at 12:14 am

    Gostei! Vou ler o livro . Ja me sinto inspirada.

    1. Carla Corrêa

      novembro 21, 2018 at 12:15 am

      Você vai amar. Ela conta muitas coisas que vai te lembrar sua infância!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: