Fios de Nylon |

Leitura do primeiro romance de Elaine Fonseca

Aos 20 e poucos uma leitura surpreendente

Minha meta de ler todos os livros pendentes da estante está fluindo de vento em poupa neste segundo semestre. Após uma leitura não muito bem sucedida do último livro, confesso que minhas expectativas sobre este não eram boas. Se dependesse da descrição da segunda capa, eu iria detestar essa história. Que para minha felicidade não foi o que aconteceu.

Sobre a leitura

Quando iniciei as cinco primeiras páginas, não confiei muito que a história poderia me agradar. Pensei que era só mais um romance água com açúcar para jovens adolescentes. Bom, após mais umas 15 páginas minha opinião mudou radicalmente. A história lembrou muito meu tempo de faculdade. Algumas familiaridades, outras nem tanto, mas de fato comecei a me identificar com a história da personagem principal, Laura.

Achei que foi uma leitura muito fluida e gostosa, pois os núcleos são divididos por tópicos, como que se fosse um diário pessoal. Gosto deste tipo de artifício em romances, pois torna a experiência do leitor com a história mais fácil de ser assimilada e menos cansativa. Posso dizer que este é um dos candidatos à melhores leituras de 2018. Nunca torci tanto por uma personagem desde “Um dia“, outra história maravilhosa.

Notas para a autora

Pesquisei um pouco sobre a vida literária da autora Elaine Fonseca e vi que “Aos 20 e poucos” é seu primeiro romance. Suas publicações anteriores são voltadas para a área de pedagogia, o que me surpreendeu ainda mais. Uma única queixa que deixarei para este livro, na verdade é um questionamento. O por quê da autora usar preferencialmente tantas vezes ao longo da leitura a expressão “a sutileza de um elefante…”.

No mais, achei uma experiência muito agradável, com uma escrita leve e sem muita enrolação os desfechos, esperados, dos personagens. Não havia ali nenhuma história de vida pessoal excepcional, vi apenas garotas normais com dilemas típicos da idade. Cinco mulheres vivendo e aprendendo como ser gente grande no melhor estilo “saí da adolescência e agora?” que a gente conhece e respeita. Mas o melhor de tudo é que esta obra não promete muita coisa, na verdade não promete nada.

Considerações finais da leitura

Considerando que a leitura deste livro me surpreendeu positivamente falando, minha conclusão é de que devo recomendar esta história. Não apenas por ter gostado e me surpreendido com ela, mas porque devido a maratona que venho fazendo, uma leitura leve dessas veio simplesmente a calhar. Às vezes sentia que os fatos não evoluam na velocidade que eu desejava que fossem. Mas aí lembrei que na vida real as coisas não acontecem de supetão assim o tempo todo. Esses personagens podem facilmente serem inspirados por alguém na vida real da autora. Por isto achei que o fato da história se repetir tanto é culpa das características dessas meninas. Que vira e mexe estão sempre cometendo os mesmos erros, e é justamente isto que torna o livro interessante. pois somos seres que permanecemos errante em boa parte de nossas vidas.

Parabéns Elaine Fonseca, seu primeiro romance é um sucesso e muito cativante!

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 31 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: