Fios de Nylon |

João Anzanello Carrascoza

Diário das coincidências de João Anzanello Carrascoza

Conheçam mais uma obra de um autor nacional que nos surpreende com a simplicidade e bom humor em acontecimentos que parecem absurdos de tão fantásticos. No entanto, em “Diário das Coincidências”, João Anzanello Carrascoza revela algumas coincidências de sua vida que envolvem também as coincidências de outras pessoas.

As coincidências de João Anzanello Carrascoza

Ao contrário do último livro que li, Caio Fernando Abreu, a narrativa de Carrascoza é muito mais leve e fluída. Sendo assim, os fatos são descritos de maneira impessoal e em terceira pessoa para aliviar a carga dramática das histórias. Adoro quando os escritores fazem isso, pois deixa a história ainda mais interessante e humanizada. Porém, em alguns momentos eu senti que o autor utilizou do humor para tornar a história mais palpável para o leitor.

Isto faz com que ele vá direto ao ponto, assim são seus contos. Sendo que alguns podem ocorrer em apenas duas frases e meia, como em “Futuro“. Um golpe seco e direto de uma história que não ocupou mais do que meia página.

João Anzanello Carrascoza reuniu em “Diário das Coincidências” uma coletânea de contos autobiográficos mais sinceros que já li. Com apenas 107 páginas e 37 histórias – o que é pouco na minha opinião. Com isso o livro condensa de forma estratégica os textos, que contribui para uma ótima experiência de leitura.

Uma vida de coincidências

São tantas as coincidências vividas pelo autor e por pessoas próximas a ele que me parece mais uma ficção de tão surpreendentes que são. Em alguns momentos da leitura eu até cheguei a duvidar se todas essas coincidências eram mesmo reias ou fruto da mente criativa de um publicitário. Mas seguram minhas fontes que não, elas são coincidências reais mesmo!

Mas o mais surpreendente de todas estas histórias é que são fatos tão “banais” que poderiam acontecer com qualquer pessoa. Inclusive comigo, porém não consigo imaginar nenhuma situação de coincidência que tenha ocorrido em minha vida ultimamente. Sempre encarei os fatos como consequência de causa e efeito.

No entanto, vejo estes textos como histórias espirituosas com boa dose de bom humor. Apesar de que, este livro trata justamente de uma coleção de memórias que colecionamos durante nossas vidas.

O que achei de “Diário das Coincidências”

Para mim, sem sombra de dúvidas, foi uma das leituras mais deliciosas de se fazer em 2019. Uma linguagem leve, que te prende em cada história. O livro me abraçou durante os dois dias de leitura que fiz. Mas ao mesmo tempo foi uma experiência completamente diferente de outra obra que li do autor.

Em “Redação Publicitária“, João Anzanello Carrascoza trata de um tema muito específico de forma bem didática. É como seu eu tivesse conhecido personalidades diferentes de uma mesma pessoa.

Mas a forma simples e direta – sempre repetindo isso pra ver se convenço alguém ou eu mesma – de tratar o tema continuou a mesma. E é isso que prezo em uma leitura. Quando me proponho a ler crônicas ou contos, quero me deparar com autores que conversem com seus leitores. E não simplesmente se coloquem de um jeito muito intelectualizado, do qual acabará fazendo uma “seleção natural” de seus leitores.

E aí, o que você achou desta resenha? Já leu o livro? Deixe nos comentários as suas impressões sobre “Como ser uma parisiense em qualquer lugar do mundo” e ajude outros leitores a decidirem melhor sua compra!

2 Comments

  1. Bruna Aliatti

    julho 9, 2019 at 1:31 pm

    Adoro esse tipo de livro e confesso que com base no seu post, já coloquei esse na minha wishlist.
    Um livro que também é leve e de crônicas afiadas é “Ser como rio que flui” do Paulo Coelho 🙂
    Adorei teu post, Carla!

    Abraço

    1. Carla Corrêa

      julho 11, 2019 at 12:05 am

      Olá Bruna… Eu AMO paulo Coelho e confesso que já sofri muito bullying por falar isso abertamente, acredita? Mas vou colocar na minha lista também sua indicação s2

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: