O tempo certo de cada um: viva o seu sem pressa

O tempo certo das coisas

Existe uma fórmula matemática, um tanto complexa pra mim, que explica bem a teoria da relatividade de Einstein. Nela ele prova que o tempo é relativo para cada indivíduo, levando em consideração a medição de acordo com seu ponto de referência. Portanto, o tempo certo ou tempo errado não existe!

O tempo certo ou o errado

A relatividade sobre a ação do tempo ainda é um mistério para muita gente. Pois muitos acreditam que estão à frente de sua época ou que estão atrasados demais no tempo em que vivem. Bobagem!

A ciência provou aquilo que os filósofos e esotéricos sempre disseram: cada um tem o seu momento, a hora de cada um é esse em que experimentamos as coisas todos os dias. É um exercício simples de fazer, mas que as pessoas ainda têm muita dificuldade em lidar com isso.

Quando nossos pais nos diziam que existia o momento certo das coisas acontecerem, ou que na hora certa aprenderíamos tal coisa, eles não estavam brincando. Pois temos o péssimo hábito de comparar nosso processo de aprendizado ou de crescimento com o dos outros. E isso é um grande erro, pois como já diziam  os antigos: tudo ao seu devido tempo.

É preciso viver o momento, o agora

Já parou pra pensar em quanto tempo a gente perde tentando prever ou planejar demais o futuro? Não estou dizendo que devemos viver como se não houvesse amanhã de forma improvisada. Quer chegar ao ponto de que a gente se dedica demais vivendo situações ou antecipando as coisas e esquecemos de viver o agora.

Mas este é o tipo de conclusão que a gente chega depois de exercitar muito nosso autoconhecimento. No filme Meia Noite em Paris, de Woody Allen o personagem principal vivia uma crise existencial por acreditar que estava vivendo na época errada. Que a década de 1920 era o tempo em que ele deveria estar.

O tema abordado como a “síndrome da época de ouro” fala justamente dessa necessidade em que muitos de nós temos de achar que uma época será melhor que a atual.

A necessidade do pertencimento

Quando decidimos que algo que temos ou vivemos é melhor que o do outro, negamos o nosso merecimento e pertencimento que conquistamos. Não levamos em conta que tudo o que temos e conseguimos é mérito nosso e, portanto, desvalorizamos o que lutamos para alcançar.

Ao negar nossas conquistas, dizemos a nós mesmos que precisamos de um novo objetivo, pertencer à algo do qual ainda não fazemos parte. E isso vira uma constante em nossas vidas, nos fazendo eternamente insatisfeitos e em busca do que não sabemos o quê.

Nisso, investimos tempo, dinheiro e trabalho, atropelando nosso processo. Isso leva muita gente a ficar antecipando fatos em suas vidas e deixando de viver o agora. Tudo com o objetivo de tentar satisfazer um sentimento que nem mesmo elas entendem direito.

Por isso a importância de vivermos o agora sem pressa e sem ficarmos preocupados com o amanhã!

E aí, gostou deste tema sobre o tema? Então compartilhe com pessoas que você gostaria de dividir esse assunto e ajude no processo de autoconhecimento dela. Vamos fazer com que conteúdos de qualidade cheguem ao conhecimento de mais pessoas!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: