Sabedoria – Não maquie o seu amor próprio

Sabedoria – Não maquie o seu amor próprio

Vou começar este texto com uma analogia sobre sabedoria: você é uma pessoa que sofre com vários problemas de pele. Tem olheiras marcadas, manchas, marcas de acne, etc. Hoje em dia, com tantas opções de maquiagem disponíveis no mercado é fácil ter em mãos produtos que cubram essas imperfeições e te deixem com a aparência de pele saudável que você tanto deseja.

Acontece que, porque você agora consegue camuflar o problema, você cuida cada vez menos da sua pele. O que vai gerando cada vez mais problemas ao longo do tempo. Daí que no fim do dia quando você retira a maquiagem, todas as marcas ainda estão ali e você. Envergonhada, se torna cada vez mais dependente.

Assim acontece nos relacionamos com alguém que não consegue ser uma pessoas completas. Na nossa falta de amor próprio usamos o afeto alheio como uma espécie de maquiagem para a nossa insegurança. Isso se torna um ciclo vicioso, uma submissão ao outro. E por escorarmos a responsabilidade de amor próprio no outro esquecemos de tratar a raiz do problema.

Nos tornamos escravos de relações. Colocamos um peso no ombro do outro e muitas vezes, transformamos aquilo que deveria consistir emcompanheirismo em algo insustentável. Quando você busca preencher esses vazios com coisas externas e em outras pessoas, você também acaba colecionando muitas decepções. O ser humano é imperfeito. E mesmo que aquela seja uma boa pessoa ela pode vir a falhar e a te decepcionar. Mas o que acontece quando a relação acaba? Você volta a sentir aquele vazio, que muitas vezes se torna ainda maior e segue a procura da próxima “maquiagem” para esquecer a sua dor. Não sabendo que isso continua não resolvendo o problema.

A sabedoria nossa de cada dia

Assim como nos preocupamos em ter o amor do outro, também precisamos lutar com tudo pelo nosso amor próprio. A sua autosuficiência no reconhecimento não é arrogância. Não é possível saber amar o outro se você não se ama primeiro. Pois relações assim acabam se tornando doentias e desgastantes.

Temos que renunciar aos ideais de romance que nos foram vendidos a vida toda. Isso de que existe alguém pra te completar ou ser a metade da sua laranja é balela. Seja antes de tudo uma laranja inteira. Alguém cheio de si, que sabe o muito que pode oferecer e que não se diminuiu para agradar o outro. Seja seu primeiro amor e busque alguém que irá te acrescentar e caminhar junto de você. Não use as pessoas como quem usa uma base no rosto.

Assim como você deve cuidar da saúde da sua pele e usar a maquiagem como algo que realce a sua beleza, cuide do seu eu para evitar ainda mais amores vazios. Aprenda a filtrar o que não encaixa na sua vida e assim, consequentemente você irá atrair pessoas que querem o mesmo que você e finalmente receber o amor que você merece.

Share

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: