Fotografando num domingo no parque

Fotografando num domingo no parque

Fotografando em pleno domando é algo não muito habitual para mim. Apenas porque aos domingos costumo ficar totalmente quieta em casa. Além de ser um dia em que os parques geralmente estão lotados demais. Mas para variar em minha rotina, decidi que este seria o dia para testar a minha 24-105mm. Apenas ela e nada mais. E não é que o resultado foi maravilhoso? Superou totalmente minhas expectativas ao ver os resultados das fotos feitas com ela. Já mencionei neste post o motivo pelo qual optei em comprar esta lente prime da Canon. E pelo visto, foi a melhor aquisição do ano na minha opinião.

A experiência foi incrível. Apesar de não estar tão inspirada assim para fotografar, fiz algumas fotos que me deixaram orgulhosa. Só fui perceber isto quando cheguei em casa e editei as fotos. Que aliás, não editei tanto assim as fotos. Diga-se de passagem. Se antes eu fotografava apenas em RAW, neste dia voltei a fazer só em JPG e fui muito feliz. Com lente e câmeras novas e um ambiente não controlado, saiu tudo além do esperado. O dia estava com sol, mas muitas vezes fui traída pela luz. Foi assim que pude colocar em prática técnicas que eu havia estudado. Uma pena eu só ter me esquecido de anotar os nomes dos donos dos cachorros que pousaram pra mim.

Fotografando catioros super fotogênicos

Read more

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.
Livros lidos empilhados juntos à minhas coisas aleatórias

Coisas aleatórias (3 on 3)

Aleatórias são aquelas coisas que encontramos ou vivemos ao acaso. Neste caso é a palavra que rege a minha vida. Não tenho muita frescura ou ânsia de adquirir produtos caros só para dizer que “tenho”. Para mim o mais importante é ter sentido e um valor afetivo e não monetário. Outro dia me peguei fotografando coisas aleatórias em meu quarto. Quando parei para editar estas fotos, vi que são coisas que estão sempre aqui presentes no meu dia a dia. Quando fiz meu primeiro post sobre 3 on 3, eu não entendia bem como funcionaria esta Tag aqui no blog. Mas pensando bem, hoje sei que a finalidade não é apenas fotografar e mostrar, mas sim sintetizar apenas as coisas simples que valem a pena.

Coisas aleatórias decorativas: meu Super Mario Bros

Miscelâneas aleatórias de decoração 1

O meu querido boneco de brinde do MC Donalds que eu tanto adoro. Quando eu era criança adorava jogar o Super Mario Bros só pra poder cavalgar no Yosh. Mas foi depois de crescida que fui entender toda a lógica mecânica por trás do jogo. Os significados semânticos das músicas, história e de seus quebra-cabeças. Só quem foi criança na década de 90 saberá apreciar este jogo e seu significado na vida dos adultos hoje. Quem cresceu jogando Super Mario com certeza sabe o que era a infância perfeita. O brinquedo é um dos raros itens coloridos que deixo exposto no meu desk office, a outra boneca é a Florzinha das Meninas Superpoderosas. O Mario dá uma quebrada no ambiente sério que fica a minha mesa de trabalho, com isso, diminuindo minha ansiedade e aumentando meu foco. Podem ter certeza, esta técnica dá muito certo.

Coisas aleatórias na literatura

Miscelâneas aleatórias de decoração 2

Outra paixão insana minha é pela obra e vida de Quentin Tarantino. Imaginem quando vi este livro, imediatamente (mesmo sem saber do que se tratava) comprei. O projeto de Samuel Cardeal é um projeto financiado via Catarse que tem como objetivo de arrecadar fundos para poder publicar esta obra fantástica. Nem pensei duas vezes ao comprar este livro, já que eu o adoro mesmo sem ter o lido. Quentin Tarantino e seus personagens épicos, não tem como dar errado. Com certeza teremos resenha deste livro aqui no blog. Só estou tentando organizar minha TBR para voltar a resenhar os livros já lidos que estão na fila de espera.

Outro motivo forte que me levou à comprar o livro do autor foi o apoio a autores brasileiros. Estou endossando a campanha que a Anna do Pausa para um Café que é a importância de apoiarmos autores nacionais. Pois existem muitos escritores com projetos incríveis por aí que não têm oportunidade de publicar seus trabalhos por falta de incentivo. Já que agora estou comprando menos livros e pesquisando mais, talvez eu consiga fazer este apoio com mais frequência. Este batom em questão foi um brinde que recebi pela contribuição feita no Catarse e eu amei.

Coisas aleatórias decorativas: meu bibelô

Miscelâneas aleatórias de decoração 3

Sim, este é meu bibelô porta joias que apareceu centenas de vezes aqui no blog e continuará porque eu não me canso. Esta é a prova maior de que ele é muito importante para mim e que o estimo muito. Apesar das marcas do tempo, hoje ele é apenas decorativo. Não me canso de ficar tirando fotos dele em cenários diferentes. Sempre que o faço fico admirando seus detalhes. Além de adorar usa-lo como objeto para treinar macro fotografia. Já que eu costumo pegar sempre os mesmos objetos e fotografar em situações diferentes para comparar minha técnica.

Talvez esta seja uma técnica que eu posso compartilhar com vocês. Estudo por conta própria fotografia, e ao longo deste tempo aprendi o que dá ou não certo para mim. E uma das coisas que deu muito certo foi repetir modelos e objetos em cenários diferentes. Isto me permitia trabalhar meu olhar de forma mais criativa. Além de conseguir comparar meus avanços em determinadas técnicas usadas.

E estes foram minhas três coisas aleatórias que eu tenho amado ter, observar e fotografar neste momento. Espero que tenham gostado dos meus objetos queridinhos do momento. Espero em breve poder trazer mais novidades aqui com coisas aleatórias novas. Porque aqui é assim: um dia estão favoritadas, mas depois saem para lugar à outras novas!

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.
Imagens da nova Identidade para Instagram

Como eu criei uma nova identidade para Instagram

Quando eu decidi mudar toda a Identidade para Instagram, eu já sabia que não seria uma tarefa fácil, pois era mais de 500 fotos que eu precisaria analisar, editar e apagar, uma por uma. Mas a decisão foi tomada e feita. No entanto, o processo se mostrou mais tranquilo do que eu havia imaginado.

Tudo começou quando decidi analisar fotos já postadas. Foram mais de 500 postagens realizadas desde 2011. Periodismos  este de quando abri minha conta no Instagram. Lá continha fotografias totalmente desconexas, com aqueles filtros de bordas bem característicos da era Instagram de quando ainda só rodava em iOS. Além de muita, mas muita coisa nada a ver com o meu atual momento. Decidi então recomeçar do zero. Apaguei todas as fotos e mudei minha descrição do perfil. Eu sempre tenho um backup de segurança de minhas fotos sempre salvas em nuvem, no meu notebook e no computador. O que me facilitou e muito na hora de baixar apenas as fotos que desejaria repostar com a nova identidade.

Identidade para Instagram construída via VSCOcam

Foi exatamente o que eu fiz: selecionei as fotos que eu queria, editei uma por um no aplicativo VSCOcam com um padrão de filtro já pré estabelecido, do qual encontrei a configuração nas buscas do Pinterest. Isso mesmo, o meu processo de busca e escolha do filtro ideal se deu todo baseado em buscas feitas no Pinterest, pois não tem lugar melhor pra se ter inspiração para tudo nesta vida do que ;á, certo?

A pesquisa consistiu num padrão específico que eu desejava para meu feed. Como fotografo muito sobre café e refeições em geral, queria um tom de cor para este filtro. Um filtro que puxasse mais para as cores terrosas e com bastante saturação. Ao contrário de muitas blogueiras, não queria um feed clarinho ou minimalista. Prefiro algo mais puxado para o marrom e bem destacado. Outro ponto chave que me

Construindo a identidade para Instagram

As opções de combinações de filtros e ajustes são intermináveis. Confesso que fiquei tentada em ter mais de uma identidade para o Instagram. Mas ai perderia completamente o foco do objetivo e meu feed continuaria do mesmo modo em que começou: desordenado. Mas durante esta etapa de pesquisa eu também acessei alguns blogs que aplicam esta lógica de feed harmônico. Isto foi essencial para que eu pudesse entender melhor o processo e funcionamento deste estilo de padronagem de rede social.

Imagem com a nova Identidade para Instagram

Durante o processo testei uns quatro tipos de filtros diferentes até chegar ao atual. A configuração está em HB2 Contraste +2 Saturação -1 Temperatura +2 e Esmaecimento +2. Só não estou me lembrando se os filtros HB são gratuitos ou pagos. Mas caso sejam pagos, valem cada centavo investido. A característica principal dele é destacar os tons mais escuros e sombreados das fotos. O que dá um ar mais “pesado” às fotografias, que eu estou amando no momento.

Identidade para Instagram? Para quê?

Pode ser que um dia eu enjoe e faça uma nova identidade para as fotos. Pois meu feed agora possui um sentido. Já que antes eu postava qualquer tipo de coisa sem a menor noção de estética. Caso eu venha mudar de padronagem, deixarei as atuais como estão e apenas acrescentarei a nova cara. Porque não quero repetir a trabalheira de curadoria e edição de cada foto novamente. Sei que esta escolha de tornar meu feed mais homogêneo foi a mais acertada, pois agora tenho mais vontade alimentação-lo periodicamente e de fazer uma curadoria mais rígida em relação ao que é postado.

Outro ponto fundamental que notei após criar esta identidade para Instagram foi que minhas fotos passaram ter mais likes que as anteriores. Mesmo o meu número de seguidores não ter alterado em nada, a padronagem das fotos e a limpeza das legendas ajudaram a criar uma empatia maior com “meu público”. Pois ninguém quer ver fotos com textos longos seguidos de hashtags intermináveis.

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.