Madonna

Madonna e a identidade de Rebel Heart

Definitivamente este é um dos melhores CDs que Madonna já lançou em sua carreira. Rebel Heart não traz nenhuma novidade sonora. Não como os seus antecessores. Mas algo de especial se revelou neste álbum: a maturidade de uma artista completa. Sim, ao longo de seus mais de 30 anos de carreira, Madonna enfim conseguiu imprimir num disco a sua identidade musical, porque até então ela era considerada uma ditadora de tendências no meio. Porque quando ela lançava uma música, o mercado a partir daquilo parecia não saber o que apresentar de novidade ao público. Mas eu lhes digo: isso é ser Madonna.

Este é um daqueles CDs em que você coloca pra tocar e ouve do inicio ao fim sem pular nenhuma faixa. Ele é tão deliciosamente bom de ouvir que o tempo voa quando escuto ele. Mas o que me chama mesmo a atenção é a capacidade de Madonna conseguir ainda me chocar com alguns trechos de suas músicas:

and we can do drugs
and we can smoke weed
and we can drink whiskey
yeah we can get high
and we can get stoned
and we can sniff glue
and we can do e
and we can drop acid
forever been lost with no way home

Conhecendo melhor Madonna e Rebel Heart

Mas não há espaço para hipocrisia, eu sei. Ela sempre disse o que queria dizer, independente das pessoas gostarem ou não. E é isto que mais gosto nela. Apesar de conhecer bem sua carreira e saber que mesmo polêmica, este e outros trechos das músicas da cantora não refletem bem suas convicções. Madonna, se você não sabe, é totalmente contra o uso de drogas (apesar de já ter o feito na juventude). Mas é isso que faz este álbum ser tão interessante. Como o próprio título fala, um coração rebelde nem sempre sente o que é lógico.

Só que o mais engraçado nisso tudo é que mesmo sem ter tanta novidade sonora para apresentar a Rainha do Pop conseguiu na época fazer um buzz quando lançou o single do CD “Illuminati”. Música da qual ela cita nomes de grandes nomes do stream do showbiz como Jay Z-Beyoncé, Rihanna, Lady GaGa e até o ex presidente americano Barack Obama. Como se ela desse a entender que todos aqueles citados pertencessem à ordem mundial dos Illuminatis. Vai saber se é isso mesmo.

Depois de esperar tanto tempo, e bota tempo nisso, para resenhar este CD, posso afirmar que sim, este é o melhor álbum de sua carreira sem sombras de dúvida. Talvez a nova geração que idolatre Demi Lovato, Ariana Grande ou outro artista desta nova safra não entenderão a importância e o peso que Madonna tem no meio musical. Caso você se interesse em conhecer um pouco da carreira da artista, tenho duas sugestões: a primeira é ler esta biografia de Madonna e a segunda é que busquem no Spotify a coletânea The Immaculate Collection. Este contém os melhores e mais famosos hits da carreira dela. Depois de absorver todas estas informações, me conte aqui nos comentários o que você acho da vida e carreira de Madonna e seu último álbum.


 

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.
Fotografando num domingo no parque

Fotografando num domingo no parque

Fotografando em pleno domando é algo não muito habitual para mim. Apenas porque aos domingos costumo ficar totalmente quieta em casa. Além de ser um dia em que os parques geralmente estão lotados demais. Mas para variar em minha rotina, decidi que este seria o dia para testar a minha 24-105mm. Apenas ela e nada mais. E não é que o resultado foi maravilhoso? Superou totalmente minhas expectativas ao ver os resultados das fotos feitas com ela. Já mencionei neste post o motivo pelo qual optei em comprar esta lente prime da Canon. E pelo visto, foi a melhor aquisição do ano na minha opinião.

A experiência foi incrível. Apesar de não estar tão inspirada assim para fotografar, fiz algumas fotos que me deixaram orgulhosa. Só fui perceber isto quando cheguei em casa e editei as fotos. Que aliás, não editei tanto assim as fotos. Diga-se de passagem. Se antes eu fotografava apenas em RAW, neste dia voltei a fazer só em JPG e fui muito feliz. Com lente e câmeras novas e um ambiente não controlado, saiu tudo além do esperado. O dia estava com sol, mas muitas vezes fui traída pela luz. Foi assim que pude colocar em prática técnicas que eu havia estudado. Uma pena eu só ter me esquecido de anotar os nomes dos donos dos cachorros que pousaram pra mim.

Fotografando catioros super fotogênicos

Read more

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.
Imagens da nova Identidade para Instagram

Como eu criei uma nova identidade para Instagram

Quando eu decidi mudar toda a Identidade para Instagram, eu já sabia que não seria uma tarefa fácil, pois era mais de 500 fotos que eu precisaria analisar, editar e apagar, uma por uma. Mas a decisão foi tomada e feita. No entanto, o processo se mostrou mais tranquilo do que eu havia imaginado.

Tudo começou quando decidi analisar fotos já postadas. Foram mais de 500 postagens realizadas desde 2011. Periodismos  este de quando abri minha conta no Instagram. Lá continha fotografias totalmente desconexas, com aqueles filtros de bordas bem característicos da era Instagram de quando ainda só rodava em iOS. Além de muita, mas muita coisa nada a ver com o meu atual momento. Decidi então recomeçar do zero. Apaguei todas as fotos e mudei minha descrição do perfil. Eu sempre tenho um backup de segurança de minhas fotos sempre salvas em nuvem, no meu notebook e no computador. O que me facilitou e muito na hora de baixar apenas as fotos que desejaria repostar com a nova identidade.

Identidade para Instagram construída via VSCOcam

Foi exatamente o que eu fiz: selecionei as fotos que eu queria, editei uma por um no aplicativo VSCOcam com um padrão de filtro já pré estabelecido, do qual encontrei a configuração nas buscas do Pinterest. Isso mesmo, o meu processo de busca e escolha do filtro ideal se deu todo baseado em buscas feitas no Pinterest, pois não tem lugar melhor pra se ter inspiração para tudo nesta vida do que ;á, certo?

A pesquisa consistiu num padrão específico que eu desejava para meu feed. Como fotografo muito sobre café e refeições em geral, queria um tom de cor para este filtro. Um filtro que puxasse mais para as cores terrosas e com bastante saturação. Ao contrário de muitas blogueiras, não queria um feed clarinho ou minimalista. Prefiro algo mais puxado para o marrom e bem destacado. Outro ponto chave que me

Construindo a identidade para Instagram

As opções de combinações de filtros e ajustes são intermináveis. Confesso que fiquei tentada em ter mais de uma identidade para o Instagram. Mas ai perderia completamente o foco do objetivo e meu feed continuaria do mesmo modo em que começou: desordenado. Mas durante esta etapa de pesquisa eu também acessei alguns blogs que aplicam esta lógica de feed harmônico. Isto foi essencial para que eu pudesse entender melhor o processo e funcionamento deste estilo de padronagem de rede social.

Imagem com a nova Identidade para Instagram

Durante o processo testei uns quatro tipos de filtros diferentes até chegar ao atual. A configuração está em HB2 Contraste +2 Saturação -1 Temperatura +2 e Esmaecimento +2. Só não estou me lembrando se os filtros HB são gratuitos ou pagos. Mas caso sejam pagos, valem cada centavo investido. A característica principal dele é destacar os tons mais escuros e sombreados das fotos. O que dá um ar mais “pesado” às fotografias, que eu estou amando no momento.

Identidade para Instagram? Para quê?

Pode ser que um dia eu enjoe e faça uma nova identidade para as fotos. Pois meu feed agora possui um sentido. Já que antes eu postava qualquer tipo de coisa sem a menor noção de estética. Caso eu venha mudar de padronagem, deixarei as atuais como estão e apenas acrescentarei a nova cara. Porque não quero repetir a trabalheira de curadoria e edição de cada foto novamente. Sei que esta escolha de tornar meu feed mais homogêneo foi a mais acertada, pois agora tenho mais vontade alimentação-lo periodicamente e de fazer uma curadoria mais rígida em relação ao que é postado.

Outro ponto fundamental que notei após criar esta identidade para Instagram foi que minhas fotos passaram ter mais likes que as anteriores. Mesmo o meu número de seguidores não ter alterado em nada, a padronagem das fotos e a limpeza das legendas ajudaram a criar uma empatia maior com “meu público”. Pois ninguém quer ver fotos com textos longos seguidos de hashtags intermináveis.

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 30 anos e apaixonada por cinema, livros, música e fotografia. Não sou de muita conversa, pois prefiro me expressar através de textos. Nascida na era da internet, blogo desde 2008. Para saber mais sobre minha história clique em Autora.